Tag Archives: comprometimento

Um comprometimento que vai dobrar o seu valor no mercado.

24 jun

 Texto traduzido de Fred Kofman. Artigo original no link: http://ow.ly/mluqr  

Imagem

Porque você se amarraria a um mastro?

Odysseus se amarrou para resistir ao canto das sereias que poderia levá-lo para o mau caminho.

Na sua carreira permanecer no curso não é uma questão de vida ou morte, mas de quanto os seus serviços são valorizados.

O mastro é a sua integridade. As cordas são o seu comprometimento de honrar a sua palavra incondicionalmente.

Sem Desculpas, Sem Surpresas.

”Incondicional” significa “sem desculpas”; você vai fazer alguma coisa custe o que custar.

Com relação a compromissos, entretanto, “incondicional” não significa que você vai entregar custe o que custar. Ao invés disso, o que incondicional é a sua integridade. “Integridade” significa que sua palavra é sua obrigação. Você dá a sua palavra sinceramente, você a cumpre consistentemente e você cuida do seu interlocutor impecavelmente – especialmente se você não vai conseguir entregar o que foi combinado. Este último item é o aspecto incondicional da sua integridade. Por nunca descumprir a sua palavra você nunca vai surpreender negativamente o seu interlocutor.

Como eu expliquei neste artigo (em inglês) para fazer uma promessa sincera você precisa ter a intenção de entregar o que está sendo combinado. E você pode apenas fazer isso se você:

  1. entende o pedido (expectativas, condições e tempo)
  2. tem um plano robusto (planejou as etapas, previu as contingências etc.)
  3. tem as habilidades e recursos necessários para entregar o combinado.  

Durante a execução do plano você precisa monitorar o progresso para avisar seu interlocutor caso as coisas saírem do trilho. Neste caso você deve avisá-lo(a) imediatamente, pedir desculpas e explicar o que aconteceu. Em seguida você precisa perguntar quais as consequências negativas desta “não entrega” e o que você pode fazer para ajudar a minimizá-las. Finalmente, você precisa fazer um novo compromisso para reparar os danos que você causou.

Quanto você vale?

Valor não é uma qualidade objetiva. Valor é uma opinião subjetiva tida por alguém que considera usar alguma coisa para atingir suas metas. (leia este artigo – em inglês – para uma explicação completa).

No mercado o seu valor não é algo intrínseco a você. Seus serviços são commodities. Potenciais compradores – isto é empregadores e clientes – vão avaliar o seu valor de acordo com o que eles acreditam sobre quão útil você pode ser para que eles alcancem seus objetivos.

Eles não podem “usar” você como eles usam um recurso material. Você é consciente e por isso tem livre arbítrio. Você faz por eles o que você escolhe fazer, então eles não vão se beneficiar das suas competências a não ser que você se comprometa a dar suporte a eles.

Consequentemente, eles não vão acreditar que eles vão se beneficiar das suas competências a não ser que eles acreditem que você vai se comprometer com os objetivos deles. E se eles não acreditarem que você vai fazer isso, então não importa o quão habilidoso você é, você vai parecer sem valor para eles.

Por isto integridade é tão importante. Integridade é o que faz você confiável, e consequentemente, valioso. Sem integridade você não é confiável, por isso não tem valor.

Ainda assim a maioria das pessoas desvalorizam sua própria integridade. Em um estudo pesquisadores constataram que “manter a promessa não tem importância no local de trabalho; que as pessoas constantemente ignoram as suas promessas; e mais, “manter as promessas” está no último lugar do ranking na hierarquia de valores das empresas. Em média menos de um terço das pessoas cumprem a sua palavra.”

O caminho para o inferno

Muitas pessoas fazem promessas com boas intenções, mas quando elas tem algum problema, elas traem a sua integridade tentadas por cantos da sereia como:

  • Estou em uma crise; preciso deixar de entregar alguma coisa.
  • Talvez eu ainda consiga entregar; não tem necessidade de chateá-lo(a).
  • Eu estarei lá em 5 minutos; ninguém vai notar que eu estou atrasado(a).
  • Isso é uma coisa sem importância; ela não vai se importar.
  • Estou muito ocupado para lidar com a raiva dele; preciso focar no trabalho.
  • Eu tenho uma boa razão; isso saiu do meu controle.
  • Ele não pode reclamar; ele já quebrou promessas comigo antes.
  • Eu não quero fazer um rebuliço; Eu vou parecer neurótico.
  • Ele vai demandar muito; melhor não perguntar o que ele precisa.
  • Eu sempre entrego; um erro não vai ser grandes coisas.
  • Qual é o ponto? Eu não posso manter a promessa de qualquer jeito.

Você já ouviu cantos da sereia parecidos na sua mente?

Se você seguí-los você sabe que eles vão levá-lo(a) para a perdição: você vai trair você mesmo, você vai trair o seu interlocutor e você vai trair todos que confiam nos resultados da sua coordenação.

No entanto você sabe que a sua chamada é quase irresistível. Quando você mais precisa ficar fiel a sua palavra é quando você menos quer fazer isso. E por uma ótima razão: você não quer ser inconveniente!

Não cumprir os seus compromissos parecem ser o mais eficiente curso de ação no curto prazo. É por isso que tantas pessoas agem assim, mas isto é um grande erro se você não vai ser bem sucedido no longo prazo. Nada o torna mais valioso que sua reputação pela sua integridade.

É por isso que você deve se amarrar ao mastro.

 “Confiança é a lubrificação que torna possível às organizações trabalharem. Uma organização sem confiança é um equívoco, uma criatura fraca da imaginação de Kafka” — Warren Bennis

Você já sofreu por causa de uma empresa/pessoa não confiável que não cumpriu suas promessas sem sequer se desculpar ou minimizar as consequências? Quanto a mais você estaria disposto(a) a pagar por alguém que cumprisse sua palavra e se comportasse com comprometimento incondicional?

Um forte abraço e uma ótima semana!